SCAP 2017 – “Virtualidade e subjetividade na contemporaneidade” e “Facebook e seus discursos sobre amizade”, com Nádia Laguárdia de Lima e Samara Sousa Diniz Soares

“Virtualidade e subjetividade na contemporaneidade”

A conferência discute o efeito da virtualidade na construção dos processos de subjetivação na contemporaneidade, sinalizando as potencialidades e os desafios engendrados pela experiência humana mediada pelos meios virtuais.

Nádia Laguárdia de Lima. Pós-doutorado em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, Especialização em “Docência do Ensino Superior” (CNP). Coordena o grupo de pesquisa: “Além da Tela: psicanálise e cultura digital” da UFMG. É autora do livro: “A escrita virtual na adolescência: uma leitura psicanalítica”. Recebeu o Prêmio CAPES de Teses 2010 e o Prêmio UFMG de Teses 2010, ambos da área da Educação.

“Facebook e seus discursos sobre amizade”

Discute a sociabilidade contemporânea por meio do conceito de amizade a partir de comunidades que abordam o tema no Facebook, maior site de rede social atual. Para isso, compreende-se a amizade como um construto psicossocial que se transforma ao longo do tempo e do espaço mediante a incorporação de práticas sociais vigentes e toma como referência o mencionado site de rede social que, ao se utilizar do termo “amigo” para designar o usuário que possui um perfil em seu website, faz suscitar a discussão a respeito do significado desse termo, bem como suas repercussões no modo de estabelecer, manter e romper relações de amizade atualmente.

Samara Sousa Diniz Soares. Mestranda em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (bolsista CAPES). Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2015). Atua nas áreas da Psicanálise, Psicologia Clínica e Psicologia Social com temáticas relacionadas à adolescência, juventude, novas tecnologias e o impacto delas sobre a subjetividade humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *